quarta-feira, 30 de junho de 2010

Serra pelas Cotas!!!

Agora não se pode mais dizer que na campanha do Serra só tem cacique!

Com livro disponível na internet, Renato debate política nacional

Renato Rabelo, presidente do Partido Comunista do Brasil, está lançando uma nova publicação intitulada Textos para o debate político atual, que reúne uma série de artigos sobre o atual debate político nacional. Com esta iniciativa, o dirigente comunista dá prosseguimento ao trabalho permanente de divulgação das ideias e do pensamento político do PCdoB. O livro pode ser baixado (em PDF) ou adquirido gratuitamente na sede do partido em Brasília.

Capa - livro Renato Rabelo

Renato discute conjuntura em nova publicação
Na primeira parte, Renato Rabelo faz um breve resumo dos 88 anos de luta deste que é o partido mais antigo em funcionamento permanente no país e, ao mesmo tempo o mais jovem, não só pela composição de suas fileiras de militantes e filiados, mas por suas ideias avançadas e focadas no desenvolvimento nacional com distribuição de renda, na defesa da soberania e da cultura de seu povo, dos direitos dos trabalhadores e do avanço da ciência e da tecnologia brasileiras.

Em seguida, o autor publica o discurso que pronunciou por ocasião de sua reintegração na Universidade Federal da Bahia, a UFBA, quando fez um retrospecto das lutas travadas desde que sofreu intensa perseguição política por parte da ditadura militar instalada em 1964 no Brasil.

Na segunda parte, o livreto se dedica à conjuntura atual, apresentando o discurso que Rabelo proferiu durante o ato realizado em Brasília para comunicar a decisão do partido de apoiar a candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República. Neste documento se procura avaliar questões em debate na campanha eleitoral de 2010 e esboçar alguns pontos para a composição da plataforma político-eleitoral.

O texto seguinte aborda concretamente um dos temas desta campanha, a política de ciência e tecnologia, numa intervenção feita em seminário organizado pela Fundação Maurício Grabois.
E, para completar, os dois últimos textos tratam de alguns aspectos da política externa de Luiz Inácio Lula da Silva, um dos pontos altos do atual governo que projeta o país como um dos principais protagonistas da cena internacional.

PCdoB-BA exige rigorosa apuração sobre assassinato de comunistas

Colombiano e Catarina: exemplos de dedicação comunista

O Comitê Estadual do PCdoB da Bahia emitiu nota nesta tarde lamentando a morte dos comunistas Paulo Colombiano e Catarina Galindo, assassinados na noite desta terça-feira, 29, em Salvador. “Ao mesmo tempo em que reverencia a memória dos seus militantes assassinados, exige rigorosa e rápida apuração do crime”, diz.
Lembrando a história de Colombiano, 53 anos, tesoureiro do Sindicato dos Rodoviários, a direção estadual destacou que sua trajetória no PCdoB “foi de total dedicação à luta pelo socialismo, de afirmação dos princípios marxistas, da prática e da defesa dos valores comunistas”. O partido destacou ainda que a “firmeza ideológica, coragem de lutar, defesa do partido e espírito solidário são qualidades que marcaram a personalidade de Paulo Colombiano e ficarão para sempre na nossa memória”.

Leia também:

* Casal de comunistas é assassinado em Salvador


Ao tratar de sua esposa, Catarina Galindo, 53 anos, que trabalhava no Comitê Estadual, a direção enfatizou que ela era “uma síntese da mulher atual que constrói o caminho para superar as dificuldades, lutando por seu espaço, para se reconhecer na história, na luta por um Brasil justo e democrático e pelo rumo socialista para os brasileiros e as brasileiras. De uma família de comunistas, ela era uma dedicada militante do PCdoB”.

O casal foi morto quando voltava para casa, por volta das 19h30, no bairro de Brotas, em Salvador. Dois motoqueiros pararam próximo ao carro em que estavam e dispararam. Colombiano foi atingido por sete tiros e Catarina, por um tiro na cabeça. A polícia investiga o crime. O enterro acontece hoje, 30, às 16h30, no cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana.

Leia a seguir a íntegra da nota do PCdoB-BA.

Viva Paulo Colombiano e Catarina Galindo


O Partido Comunista do Brasil lamenta a morte de Paulo Colombiano e Catarina Galindo, dois dedicados militantes da causa socialista, que foram assassinados por desconhecidos em uma motocicleta quando retornavam à sua residência, na noite do dia 29 de junho.

Paulo Colombiano ingressou no Partido Comunista ainda muito jovem. Fez parte da sua direção estadual e atualmente era integrante da Direção Municipal do PCdoB em Salvador, sempre se destacando como organizador dos trabalhadores. Paulo Colombiano participou do movimento de retomada do sindicalismo baiano a partir da década de setenta. Foi eleito vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários de Salvador, entidade que voltou a representar a partir do ano do ano passado, na função de tesoureiro. Paulo Colombiano foi fundador da CUT e integrou a direção dessa central sindical na Bahia por dois mandatos. Atualmente era dirigente da Central das Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil, CTB.

A trajetória de Paulo Colombiano no PCdoB foi de total dedicação à luta pelo socialismo, de afirmação dos princípios marxistas, da prática e da defesa dos valores comunistas. Firmeza ideológica, coragem de lutar, defesa do partido e espírito solidário são qualidades que marcaram a personalidade de Paulo Colombiano e ficarão para sempre na nossa memória.

Catarina Galindo, trabalhadora, mãe, militante, era uma síntese da mulher atual que constrói o caminho para superar as dificuldades, lutando por seu espaço, para se reconhecer na história, na luta por um Brasil justo e democrático e por rumo socialista para os brasileiros e as brasileiras. De uma família de comunistas, ela era uma dedicada militante do PCdoB. Na função de secretária, seu trabalho profissional, e na militância política, a sensibilidade e a solidariedade eram suas marcas. Ver Catarina, conversar com Catarina era ter contato com a tranqüilidade e principalmente ver fluir seu jeito carinhoso, bem humorado, mas resoluto. Era o seu jeito de ser mulher, irmã, mãe, trabalhadora e militante. Era o seu jeito de ser feliz.

O Comitê Estadual do Partido Comunista do Brasil, por intermédio de seu Secretariado, ao mesmo tempo em que reverencia a memória dos seus militantes assassinados, exige rigorosa e rápida apuração do crime.

Viva Catarina e Colombiano.

Salvador, 30 de junho de 2010

Comitê Estadual do PCdoB

Serra rifa Álvaro Dias e DEM indica um ficha suja para vice

Parece que a novela do vice de José Serra chegou ao seu capítulo final nesta quarta-feira (30). O candidato tucano à Presidência decidiu rifar o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) e teve de engolir a exigência dos “democratas”, que indicaram o deputado Índio da Costa (DEM-RJ) para a vaga.
Serra queria evitar tal desfecho, já que o DEM (ex-PFL) ficou mal afamado após os escândalos do ex-governador Arruda, do Distrito Federal, filiado à legenda. O candidato a vice se apresenta como o relator do projeto da ficha limpa, mas também possui um currículo pouco recomendável.

Genro de Cacciola

O parlamentar carioca é casado com Rafaela Cacciola, filha do banqueiro ítalo-brasileiro Salvatore Cacciola, proprietário do falido Banco Marka, que se meteu numa operação criminosa durante a crise cambial de 1999 (quando o real foi desvalorizado), foi condenado, fugiu para a Itália e hoje está encarcerado. O sogro cumpre pena por corrupção.

Costa também é empresário, sócio cotista da Baqueta Participações LTDA, ligada à 3X, empresa de licenciamento de produtos. Antes de se eleger deputado, foi vereador e administrador regional do bairro de Copacabana e do parque do Flamengo. É indicação pessoal do ex-prefeito do Rio e cacique do DEM, César Maia, com quem mantém algumas relações perigosas.

Ligações perigosas

Maia e Costa são suspeitos de envolvimento no episódio de licitação viciada para fornecimento de merenda escolar na capital carioca em 2005. O fato ocorreu quando o genro de Cacciola era secretário Municipal de Administração e responsável pela licitação. O prefeito era César Maia.

Segundo apurou o relatório da CPI criada pela Câmara Municipal para investigar a concoorência, que agora é objeto de inquérito policial na Delegacia Fazendária, o esquema de fraude na licitação se procedeu da seguinte forma:

O edital da licitação tinha entre as regras atrair um número expressivo de participantes. Duas empresas, Milano e Ermar, agiram em jogo combinado para vencer. A Ermar apresentou recursos de impugnação contra todos os concorrentes, exceto contra a Milano, deixando caminho livre.

Com isso, as regras do edital não foram atendidas. O secretário (nosso personagem Índio da Costa) tinha a obrigação de cancelar o processo e providenciar outra licitação. Mas ele fez o contrário, e a Milano acabou vencendo a licitação e ficando com 99% do fornecimento de gêneros alimentícios para a merenda.

Prejuízo milionário

Índio da Costa ainda levantou mais suspeitas ao insistir na contratação centralizada de fornecimento de merenda escolar quando, desde 2001, estudo da Controladoria Geral do Município CGM) recomendava a descentralização do sistema.

Os cofres públicos municipais sofreram uma sangria de R$ 11 milhões quando houve a nova licitação, estendendo a participação a nove empresas fornecedoras de gêneros alimentícios.

Cabeça vazia e bolsos cheios

O ex-secretário nacional de Segurança Luiz Eduardo Soares traçou um breve e sugestivo perfil de Índio da Costa em seu twitter: “Jovem, bonitão, do Rio, rico, ligado a obras,empreiteiras e caixa de campanha, sem nada na cabeça ou nas mãos, mas muito nos bolsos: eis o vice!”

A indicação do vice não pacificou as fileiras da candidatura tucana. Descartado, o senador Álvaro Dias disse que se sentiu usado. Seu irmão, Osmar Dias, também senador (PDT-PR), frustrou o plano dos tucanos ao sair candidato a governador do Paraná em coligação com o PT e garantir um bom palanque para Dilma Rousseff no Estado.

A novela ajudou a evidenciar a precariedade das alianças costuradas por Serra. O martelo sobre o vice foi batido na casa do ex-governador, onde ele se reuniu com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o presidente dos “democratas”, Rodrigo Maia. A candidatura de Índio da Costa deve ser anunciada no final da Convenção do DEM, que está sendo realizada nesta quarta (30) em Brasília.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Nota Oficial

A decisão judicial que ontem colocou mais uma vez nossa cidade em clima de instabilidade, reafirma o que nossa candidatura apontou no processo eleitoral de 2008.

Nossa candidatura à Prefeitura se colocou e, ainda se coloca como contra-ponto a esse quadro, sinalizando uma renovação politica para Campos .

Cabe agora à Justiça decidir sobre a realização de uma nova eleição que garanta legitimidade à administração pública municipal.

Sigo como candidata a Deputada Estadual, homologada na Convenção Estadual do PCdoB no último dia 26, única em todo o Norte e Noroeste Fluminense, aguardando as decisões da Justiça Eleitoral.

Professora Odete

Presidente PCdoB - Campos

domingo, 27 de junho de 2010

Homofobia Mata!

Alexandre Ivo Rajão, 14 anos, foi assassinado na segunda-feira, 23/06, em São Gonçalo-RJ. Alexandre foi torturado com crueldade. O adolescente era ligado aoGrupo LGBT Atitude e voluntário da Parada LGBT de São Gonçalo. No laudo consta que ele foi morto por:
1- asfixia mecânica;
2- enforcado com sua própria camisa;
3- com graves lesões no crânio, provavelmente causadas por agressões com pedras, pedaços de madeira e ferro.
Alexandre voltava para casa às 2h30, quando foi brutalmente assassinado. Seu corpo foi deixado num terreno baldio.
O delegado Geraldo Assed, da 72ª DP (Mutuá), suspeita que o crime tenha sido praticado por skinheads e motivado por intolerância à orientação sexual. Três suspeitos de 23 anos (!!!!!) foram detidos.
Este é um dos casos mais chocantes de violência homofóbica dos últimos tempos. A ABGLT conclama as autoridades competentes para que tomem todas as medidas cabíveis, que a justiça seja feita e os culpados punidos exemplarmente. Não podemos tolerar mais um caso de impunidade.

PCdoB de Campos participa de Convenção Eleitoral Estadual

Ontem o PCdoB aqui de Campos esteve representando o município na convenção eleitoral na capital e no ato político.

Na parte da manhã, 127 delegados, representando o conjunto da militância comunista, aprovaram por unanimidade a resolução política e a nominata com 40 candidatos a deputado federal e 82 a deputado estadual.

Professora Odete discursou e apresentou a sua pré-candidatura, sendo muito aplaudida por todos. Dá-lhe professora Odete!!!!!!!

Na parte da tarde, mais de 1500 pessoas superlotaram o auditório do 9º andar da Associação Brasileira de Imprensa – ABI, no centro do Rio, para assistir ao ato político da convenção.

Compareceram ao ato político, comandado pela presidente estadual do PCdoB, Ana Rocha, o presidente nacional do Partido, Renato Rabelo, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), o ex-prefeito de Nova Iguaçu e candidato ao senado Lindberg Farias (PT), o presidente da Assembléia Legislativa, e também candidato ao senado, Jorge Picciani (PMDB) e o deputado federal Luiz Sérgio, presidente estadual do PT.

A presidente do PCdoB-RJ, Ana Rocha, afirmou que “não é a toa que existe a vontade de continuar o que vem dando certo. Uma das nossas resoluções é lutar para garantir a eleição de Dilma e a outra reeleger Sérgio Cabral. O governo do Rio estabeleceu uma parceria com o governo federal, que tem favorecido o nosso estado, e realizado iniciativas próprias, como o combate à violência, as UPPs se tornaram uma marca positiva do governo Cabral, foi essa inteligente parceria que trouxe as olimpíadas para o Rio”.

Ana também destacou o apoio à chapa de senadores com Lindberg Farias (PT) e Jorge Picciani (PMDB) e o lançamento de chapas próprias do Partido para deputado federal e estadual, com lideranças de diversas regiões do estado e de várias categorias. “Nosso esforço é eleger, no mínimo, três deputados federais e três estaduais, com destaque para Jandira Feghali e Edmilson Valentim e transformar em voto a influência política acumulada pelo PCdoB”.

O presidente do PCdoB, Renato Rabelo, agradeceu a participação do governador Sérgio Cabral no 12º Congresso Nacional do Partido, no final de 2009, um gesto político valorizado pelo PCdoB. Sobre a sucessão presidencial, Renato afirmou que “Lula abriu um novo caminho para o Brasil e o povo quer a continuidade deste projeto. Dilma, escolhida como sucessora de Lula, é uma pessoa capaz e experiente. Pela primeira vez teremos uma mulher na presidência do país, para dar continuidade aos avanços”.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, ressaltou a parceria com o PCdoB na cidade do Rio e afirmou que a aliança com o PMDB para as eleições de 2010 consolida esse projeto. “O Brasil mudou, as pessoas estão melhorando de vida e o governo fará uma gestão ainda melhor”, finalizou Paes. Candidato ao senado, Picciani também destacou a aliança do PCdoB com o PMDB e a importância da eleição de deputados comunistas: “Eu sei a qualidade da representação do PCdoB, que tem ajudado no desenvolvimento do país”. Também candidato ao senado, Lindberg lançou o desafio de lançar as candidaturas de Dilma e Cabral em uma grande passeata na Avenida Rio Branco.

Segundo o deputado Edmilson Valentim, essa aliança – PCdoB, PT e PMDB – alinha o Rio de Janeiro com o desenvolvimento do Brasil, a geração de emprego e distribuição de renda. “Vamos dar continuidade ao crescimento, nunca visto na história desse país. Precisamos continuar a nossa luta pelo desenvolvimento do estado, reforçando nossa bancada na Câmara Federal e no Senado”, afirmou Edmilson.

Último orador da convenção, Sérgio Cabral também ressaltou a boa parceria com o PCdoB, principalmente com o ministro do Esporte, Orlando Silva, com o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Haroldo Lima, e com o deputado Edmilson Valentim. O governador afirmou que a conquista das olimpíadas de 2016 se deve ao grande trabalho de Orlando. “No dia que nós ganhamos eu disse ao presidente Lula: vai ser constituída a Autoridade Olímpica e peço ao senhor que nomeie Orlando Silva, que foi o grande comandante desta vitória”.

Cabral destacou as realizações de sua gestão, como a criação das UPAs e UPPs, que segundo ele será implementado em nível nacional por Dilma Roussef, o Bilhete Único, a ampliação do metrô que está em construção, os investimentos nas favelas, a construção de habitação popular, novos colégios públicos, entre outras.

Algumas fotos do evento:

Professora Odete no momento do seu discurso

Professora Odete Rocha, a Presidente Estadual do PCdoB do RJ Ana Rocha e Silvana Carneiro
Professora Odete e Abud Pneus em momento de concentraçãoProfessora Odete e Marcos (Correios)

Fernando Crespo (nosso Secretário de Organização), Ana Rocha e Renato Rabelo, Presidente Nacional do PCdoBMarcelo Soares (nosso Vice-Presidente) e Renato Rabelo

Marcelo Soares e Salvadora SardinhaBeth Rosário (nossa Coordenadora da UBM) e Silvana Carneiro

Renato Rabelo e Beth Rosário

Renato Rabelo e Silvana CarneiroFernando Crespo e o Deputado Federal Edmilson Valentim

Silvana Carneiro e o Deputado EdmilsomSalvadora e Beth

Deputado Federal Edmilson Valentim e Luiz Henrique (UJS-Campos)


quinta-feira, 24 de junho de 2010

Convenção do PCdoB-RJ terá como lema: Com Dilma e Cabral para avançar nas mudanças

Neste sábado (26), o PCdoB-RJ realizará sua Convenção Eleitoral Estadual, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI). Às 12h, os comunistas receberão o governador Sérgio Cabral e aliados para um grande ato político aberto para todos os filiados.

No ato político, o Partido apresentará a Cabral uma plataforma com 32 propostas para o estado, que abrangem o setor econômico, social, educacional, saúde, entre outras.

Na parte da manhã, a partir das 9h, terá início a convenção para os delegados eleitos, que debaterão as alianças para as eleições deste ano e aprovarão a nominata das chapas de deputados federais e estaduais do Partido. No estado, o PCdoB lançará chapa própria para deputado federal – fato inédito no Rio – e uma chapa de deputados estaduais. A ABI fica na Rua Araújo Porto Alegre, 71, centro do Rio.

O Partido convoca todos os militantes, filiados, simpatizantes e apoiadores dos nossos candidatos a construírem um vibrante ato político, mostrando que os comunistas fluminenses darão o melhor de seus esforços para a vitória do campo popular, democrático e progressista no estado do Rio de Janeiro, elegendo também bancadas de deputados federais e estaduais do PCdoB.

TODOS AO ATO POLÍTICO DA CONVENÇÃO ESTADUAL!

12 horas, AUDITÓRIO DA ABI, Rua Araújo Porto Alegre, 71, Centro.



Rebeca Gusmão disputa vaga na Câmara Distrital pelo PCdoB

A ex-nadadora e atual jogadora de futebol Rebeca Gusmão é a mais nova candidata a deputada distrital pelo PCdoB. Em uma nova fase da sua vida, a única esportista brasileira a ganhar duas medalhas de ouro em jogos pan-americanos, agora está na política. Ela quer mais incentivo ao esporte. “Vivemos numa cidade que não oferece muitas oportunidades para o esportista crescer. Quero mudar este quadro” afirma.
Além do esporte, Rebeca quer mudança também na educação, na saúde e na segurança da capital federal. E sua estratégia é visitar cada cidade do DF e instituições de diversos segmentos, para descobrir o que é necessário ser mudado.

A esportista, que também foi campeã mundial de supino, na categoria até 90 kg, almeja a vitória nessas eleições. Para isso conta com um partido de influencia na política brasileira.

“Escolhi o PCdoB por causa de sua história e por ser partido sério, apoiador de Agnelo Queiroz para governador. Agnelo já foi ministro do Esporte e fez um ótimo trabalho enquanto esteve no Ministério” completa Gusmão.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Estado decreta ponto facultativo na próxima sexta-feira

O Governo do Estado do Rio de Janeiro concederá ponto facultativo para seus servidores no dia do próximo jogo do Brasil na Copa do Mundo da África do Sul. A partida contra a Seleção de Portugal acontece nesta sexta-feira, 25 de junho, às 11h.

O expediente será normal, sob a responsabilidade dos respectivos chefes, nas repartições cujas atividades não possam ser suspensas, em virtude de exigências técnicas ou por motivo de interesse público.

A medida foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (23/6).

Programa na rádio e TV do PCdoB

Acompanhe o programa do PCdoB na rádio e TV a partir de hoje:

Dia 23/06 (Quarta-Feira)
Dia 25/06 (Sexta-Feira)
Dia 28/06 (Segunda-Feira)
Dia 30/06 (Quarta-Feira)

terça-feira, 22 de junho de 2010

Em entrevista, Leci Brandão explica objetivos de sua candidatura

Nome consagrado no samba brasileiro, Leci Brandão aceitou o desafio de candidatar-se a uma cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Aos 66 anos, a carioca, nascida em Madureira, diz, em entrevista ao portal Terra, querer o cargo de deputada estadual para levantar temas referentes ao preconceito e à justiça social.

"A minha bandeira é sempre as classes menos favorecidas. Além disso, defendo os direitos humanos, a justiça social, a negritude.", diz Leci Brandão. A cantora revela ainda que sua incursão na política não é uma aventura, pois sempre cultivou uma postura militante e que conta com o apoio de expressivos nomes da classe artística.

Sobre a disputa presidencial, Dilma diz que admira a candidata Dilma Rousseff (PT). "Ela é uma mulher que foi presa, foi torturada e sempre lutou, é uma mulher inteligente e é uma pessoa que demonstra um grande conhecimento do País", diz Leci que disse também ter admiração pela ex-ministra Marina Silva (PV), para quem já fez até uma música quando Marina foi candidata ao Senado.

Confira a entrevista com Leci Brandão na íntegra:

Terra: Por que você decidiu se filiar ao PCdoB e concorrer ao cargo de deputada estadual?

Leci Brandão: Sempre defendi todo tipo de cidadania, sou contra todo tipo de preconceito, sempre tive músicas contra o racismo, pelo MST, pelos índios, contra a fome, participei das Diretas Já, sempre fui engajada. As pessoas falavam o meu nome, achavam que eu tinha capacidade, daí o Netinho de Paula, em uma reunião que nós tivemos na sede estadual, me disse que eu só não tive um mandato, mas sempre fui muito política e que sempre demonstrei preocupação com os problemas da sociedade brasileira menos favorecida. O meu público é o povão e eu resolvi aceitar esse desafio.

Terra: Você tem um histórico de shows em atos políticos.

Leci Brandão: Principalmente os dos partidos de esquerda.

Terra: Você costuma escolher os eventos, se oferece, ou sempre foi convidada?

Leci Brandão: Sempre fui convidada. Eu sempre me ofereço quando são eventos beneficentes. Ao longo da minha carreira eu sempre batalhei ao lado de ações que tem a ver com as causas sociais. É muito difícil alguém me convidar para eventos que não sejam de esquerda, porque eu sempre fui muito transparente. Por causa disso, eu já tive problemas dentro da mídia, de ficar cinco anos sem gravar, de não participar de alguns programas com outros sambistas porque tinham medo de que eu falasse alguma coisa política.

Terra: Teve algum programa que você não participou e que te marcou, por achar injusto?

Leci Brandão: Eu não vou nem citar para não dar problema e nem ficar divulgando esses programas, estes produtores, entendeu? Mas o povo percebe e diz: "você sempre tem tanta coisa a dizer, por que não está lá?". Mas é uma opção do programa.

Terra: Qual é a principal bandeira que você levantará na sua campanha?

Leci Brandão: A minha bandeira é sempre as classes menos favorecidas. Além disso, defendo os direitos humanos, a justiça social, a negritude. Não é à toa que me chamaram para fazer parte do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial, na gestão da Matilde Ribeiro Secretaria da Igualdade Racial. Aí, continuei, porque o ministro Edson Santos pediu e agora eu vou ter que sair porque vou me candidatar.

Terra: Acha que as mulheres e os negros ainda são muito discriminados na sociedade?

Leci Brandão: A questão do negro é claro que existe, embora exista o discurso hipócrita de que o Brasil tem preconceito social e não racial, mas quem é negro sabe que isso é uma falácia. Existe sim e tem o institucionalizado que é o pior. É difícil ver negros em cargos de direção, como gerentes de banco privado, comandantes nas companhias áreas. Se você observar os negros em destaque são jogadores de futebol ou artistas. Mas eu quero ver os negros médicos, arquitetos. Aí, as pessoas perguntam por que eles não conseguem, eles são burros? Não, não é isso. Para entrar em uma universidade pública, é muito difícil.

Terra: Você é a favor das cotas?

Leci Brandão: Sim, eu acho que as cotas resolveriam o grande problema de inclusão nessas profissões liberais. Raramente você vê negros na medicina, você vê auxiliares de enfermagem, mas médicos não.

Terra: E na política?

Leci Brandão: Na política também tem poucos políticos negros. Porque se você olhar na população brasileira o percentual de negros que tem e a quantidade que têm no Congresso Nacional é pouco. Você não vê na Assembleia Legislativa de São Paulo, que tem 94 deputados.

Terra: Como avalia a candidatura de Netinho de Paula para o Senado? Ele está preparado para o cargo?

Leci Brandão: Sim, até porque ele está fazendo um mandato como vereador que é elogiado por muita gente. Ele é um cara muito interessado, conversa muito com os outros vereadores, para procurar ter mais sabedoria, porque ele é um cara muito inteligente. Ele está fazendo uma política séria, comprometida, está estudando mais, ele está fazendo faculdade inclusive. O Netinho está demonstrando que está dando conta do recado. Ele quer ser senador, é um sonho dele e ele quer provar que pode fazer muita coisa e provar que um cara pobre, negro, pode ser um senador com competência.

Terra: Você acha que os artistas ainda sofrem preconceitos por tentar cargos públicos?

Leci Brandão: O preconceito existe. É o povo que fica sempre com o pé atrás e pergunta: "o que esse artista vai fazer lá?" Eu, graças a Deus, tenho o apoio das pessoas para a minha candidatura, porque eles dizem: "a Leci sempre foi uma militante". Na verdade, o espanto é porque eu vou ser candidata e eu sempre disse que não queria ser.

Terra: Você acredita que a sua posição é diferente dos outros candidatos porque sempre esteve na condição de militante.

Leci Brandão: O povo, pelo menos, vê isso dessa forma. São as pessoas que estão dizendo: "a Leci é uma pessoa séria, a Leci eu conheço e sempre conversou com seu público". Eu sempre falo coisas sérias no meu palco, eu falo mesmo, falo até demais.

Terra: E a classe artística, tem te apoiado?

Leci Brandão: Eu já recebi apoio da Paula Lima, do Reinaldo, do Mano Brown, do Rappin Hood, de vários intérpretes de escolas de samba de São Paulo, do Jorge Aragão, da Zélia Duncan. Bom, essas pessoas já disseram que estão apoiando a candidatura, falaram naturalmente, sem divulgar nada, ficaram sabendo e se manifestaram. Eu não saí propagando isso.

Terra: O PCdoB, que é seu partido, faz parte da base aliada do PT. Como você avalia a candidatura de Dilma Rousseff?

Leci Brandão: Eu acho uma coisa muito importante, primeiro por ser mulher, porque a participação da mulher no Brasil está se valorizando mais. Eu tive o prazer de conhecer a Dilma em uma homenagem que recebi no Senado federal, por meus serviços prestados a sociedade e ela fez um discurso maravilhoso. Eu não sabia que ela sacava a minha história. Mas antes disso, eu já a admirava porque ela é uma mulher que foi presa, foi torturada e sempre lutou, é uma mulher inteligente e é uma pessoa que demonstra um grande conhecimento do País. Eu confio na Dilma, ela é uma pessoa séria. Mas é claro que a mídia que é contra ela, fica ocupando espaço para falar da roupa, do cabelo, que ela é gorda, acho isso muito medíocre, é um horror, é uma coisa preconceituosa, de gente que só quer saber de estética.

Terra: Mas estas críticas são da mídia no geral?

Leci Brandão: É da mídia que é contra o Lula, que é contra a candidatura da Dilma. Existe uma mídia que é forte no Brasil, que tem poder e que não é favorável. O que puder falar vai falar.

Terra: Por outro lado, a Marina Silva também concorre à presidência. Acha que ela está sofrendo o mesmo preconceito que Dilma?

Leci Brandão: De vez em quando falam da Marina, só porque é mulher e fica essa coisa horrorosa. Eu sou fã da Marina e da vida dela, já fiz uma música para ela quando ela foi senadora. Eu acho a Marina demais, porque ela tem uma história linda, ela veio da seringueira. Ela é muito inteligente.

Terra: E Dilma, também vai ganhar uma música?

Leci Brandão: Quem sabe, né? (risos)

Terra: O PT já havia feito algum convite para você se filiar?

Leci Brandão: Nunca ninguém me convidou não, mas sei que eles gostam de mim. O primeiro convite foi do Netinho mesmo.

Terra: Leci, você tem algum plano de governo ou temas que pretende abordar na Assembleia?

Leci Brandão: São necessários projetos para que as pessoas pobres e da periferia possam ter oportunidades, condições de estudar mais, de poder se formar no curso superior, para mudar o quadro no Brasil. Tem a questão cultural, fazer com que a cultura popular tenha mais espaço. A questão da saúde da mulher, da anemia falciforme. E o problema da habitação, porque eu vi que muita gente ficou desabrigada, com doenças, por que fizeram casas onde não podia ser feito. E outra coisa que eu queria falar é sobre a abordagem policial com os jovens negros. A filosofia da segurança pública em São Paulo é extremamente racista. Outros temas importantes são a intolerância religiosa e a homofobia.

Terra: Se você vencer o pleito de outubro, como conciliará a vida artística e a política?

Leci Brandão: Eu sou uma pessoa que faço shows de forma normal, não faço show a toda hora, não sou superstar e nem celebridade. As apresentações são mais aos finais de semana. Vai dar para associar, até porque quero deixar claro que eu não vou encerrar a minha carreira, pois foi a música foi a válvula propulsora para realizar tudo que realizei.

Fonte: Terra

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Contas irregulares podem deixar 5 mil inelegíveis no país, informa TCU

O Tribunal de Contas da União (TCU) informou nesta segunda-feira (21) que 4.922 agentes públicos –entre os quais governadores, prefeitos, secretários estaduais e municipais e diretores de autarquias– tiveram as contas julgadas irregulares pelo órgão nos últimos oito anos.

A lista do TCU com os nomes será entregue nesta noite pelo presidente do órgão, ministro Ubiratan Aguiar, ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski.

No total, são 7.854 condenações desde 2002 – uma parcela dos 4.922 agentes públicos tem mais de uma condenação.

O TCU informou que divulgará a lista com os nomes no site da instituição.

domingo, 20 de junho de 2010

TSE diz que Lei da Ficha Limpa se aplica a processos anteriores à sua edição


Em resposta a uma consulta, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram na sessão desta quinta-feira (17) que as regras da Lei da Ficha Limpa deverão ser aplicadas nas Eleições 2010, inclusive para os casos de condenação anteriores à vigência da lei.

A tese vencedora foi do relator ministro Arnaldo Versiani, para quem não se trata de retroatividade e sim de aplicação da lei conforme aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente da República.

A Lei Complementar 135/2010 ficou conhecida como Lei da Ficha Limpa porque estabelece que candidatos que tiverem condenação criminal por órgão colegiado, ainda que caiba recurso, ficarão impedidos de obter o registro de candidatura, pois serão considerados inelegíveis.

A consulta foi apresentada pelo deputado federal Ilderlei Cordeiro (PPS) e questionava, entre outras coisas, se a “lei eleitoral que alterar as causas de inelegibilidade e o período de duração da perda dos direitos políticos se aplicaria aos processos em tramitação, já julgados e em grau de recurso, com decisão onde se adotou punição com base na regra legal então vigente”.

A posição do TSE foi firmada por maioria de votos, vencidos os ministros Marco Aurélio e o ministro Marcelo Ribeiro em parte. Votaram com o relator a ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, Aldir Passarinho Junior, Hamilton Carvalhido e o presidente, Ricardo Lewandowski.

sábado, 19 de junho de 2010

Acesso ao Ensino Médio “estaciona” em 80% da população jovem

De modo diferente do que ocorreu na educação fundamental, a universalização do acesso ao ensino médio no sistema educacional brasileiro está longe de ser atingida. Com taxa de matrículas estagnada nos últimos anos na casa dos 10 milhões de alunos, o ciclo escolar enfrenta alto índice de evasão, "difícil de ser corrigido", segundo Carlos Artexes, diretor do Ministério da Educação (MEC) responsável por políticas públicas nesse segmento.

De acordo com dados organizados pelo pesquisador social Ricardo Paes de Barro, do Instituto Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), dois em cada dez jovens brasileiros de 15 a 17 anos estão fora da escola, o que representa 18% da população nessa faixa etária - cerca de 2 milhões de pessoas. Na faixa dos 18 aos 24 anos, 68% dos jovens não estudam.

Na avaliação de Artexes, a taxa de matrícula atual do ensino médio, estimada em mais de 80% para jovens de 15 a 17 anos, alcançou um "esgotamento". "Isso acontece em qualquer nível de ensino, no fundamental chegamos a 97%; no médio é evidente que a universalização se dê num patamar mais baixo", comenta. Uma das explicações para esse esgotamento, diz o educador, é a decisão do próprio jovem. "Ele está construindo sua autonomia e estar ou não na escola depende cada vez mais dele e menos da posição dos pais", resume.

Já para Paes de Barros, o problema está relacionado à desigualdade social no país. "Esses 18% são famílias pobres em áreas isoladas. O sistema educacional avançou e agora está batendo num núcleo duro e será preciso fazer algo mais especial para conseguir penetrar aí. Pode ser que o Bolsa Família tenha ajudado e transporte escolar é fundamental no acesso", opina.

Paes de Barros diz também que as políticas devem ser moldadas para atrair os jovens que estão atualmente fora da escola. "Para esses excluídos, uma escola com um viés totalmente acadêmico, voltada para o vestibular e a universidade, não vai funcionar. O indivíduo já sabe que não vai poder estudar e vai se perguntar: 'Por que eu vou fazer educação média se eu sei que não vou usar o que aprendi aqui na minha terra?'".

Carlos Artexes sublinhou que a evasão deve ser analisada num contexto de longo prazo. "Não é possível avaliar o problema sem um olhar histórico. Há 20 anos, a taxa de matrículas no ensino médio era de 15%, com 3 milhões de alunos. Conseguimos chegar hoje a 10 milhões", pondera.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Presidente do PCdoB faz palestra em Congresso da UJS

Cerca de 1200 jovens de todo o pais, acompanharam a aula magna do presidente nacional do PcdoB Renato Rabelo, no 15º Congresso Nacional da União da Juventude Socialista em Salvador na noite desta quinta-feira.

Renato destacou na sua aula a atualidade da luta em defesa do socialismo.

"Hoje vivemos em um mundo em transição, com a tendência ao declínio do imperialismo hegemônico norte-americano e ao mesmo tempo o surgimento de novos pólos dinãmicos de desenvolvimento como a China, Índia e também o Brasil".

Rabelo afirmou também que atravessamos uma crise de grande profundidade no capitalismo, que está atingindo neste momento de forma aguda os países do conetinente europeu, "a fase atual da crise na Europa traz o desemprego e tenta jogar todo o ônus nas costas dos trabalhadores".

"A mobilização dos trabalhadores é crescente, e tem fortalecido a construção de um caminho alternativo ao capitalismo, que é o socialismo" lembrou o dirigente comunista.

Renato também apresentou a concepção do PCdoB sobre o atual momento da política nacional "Nosso objetivo estratégico, nosso rumo é a construção de uma nova sociedade. Nossa tática é a nossa prática política, a acumulação política, organizativa, no sentido de elevar a consciência dos trabalhadores".

Combate às políticas neoliberais

"Nosso partido participa do governo Lula, combatendo as políticas neoliberais e lutando junto com o governo para avançarmos na construção de um projeto nacional de desenvolvimento, na luta por reformas democráticas, liberdade política e soberania do país" afirmou Renato.

Sobre a atuação do PCdoB, Rabelo também destacou que para os comunistas, é preciso atuar em três frentes: a participação nos governos democráticos e nos parlamentos, junto com os movimentos sociais, sobretudo das classes trabalhadoras, e na luta de ideias.

"Para nós, participar do governo sem participar dos movimentos sociais e sem participar da luta de ideias não tem sentido" lembrou o presidente do PCdoB.

Ele deu como exemplos, a recente vitória da juventude aprovada no Senado que garante 50% dos recursos obtidos com o pré-sal serão investidos na educação e o reajuste dos aposentados conquistados graças a mobilização dos movimentos sociais.

O PCdoB tem programa

Ao final de sua aula, Renato comentou as propostas contidas no Programa Socialista do PCdoB, "é produto de um esforço muito grande, cuja essencia é a transiçao para o socialismo nas condições atuais".

"Não existe modelo único, isso varia de país a país, o modelo tem de ser condizente com a realidade de cada país" comentou Renato.

Por fim, Renato comentou o apoio do PCdoB à candidatura de Dilma Rousseff, oficializado na noite anterior em Brasília, "com Dilma iremos avançar, ela própria afirma que é preciso avançar, avançar, avançar e o novo projeto nacional de desenvolvimento visa atingir um patamar mais elevado do que o atingido no governo Lula. Nós podemos dar respostas, não para remediar, para procurar saídas estruturais, saídas de fundo".

Programa Socialista em Gibi

Em seguida, o programa socialista em gibi foi apresentado pela jornalista Bernardo Joffily, autor da publicação, que de forma simples, acessível e alegre traduz o programa para uma linguagem visualmente moderna.

"O gibi tem como foco, tornar o programa socialista acessível, inclusive para as imensas parcelas da população que não tem acesso á internet" destacou Joffily.

Bernardo aproveitou para estimular a juventude a produzir também seus materiais e gibis, "eu fiquei preocupado, pois em 1980, me procuraram para fazer um gibi da constituinte, já é hora de ter outros bernardos, é preciso abrir o espaço para os novos desenhistas da UJS".

O líder do Bloco de Esquerda na Câmara dos Deputados, deputado Daniel Almeida, que também participou do debate aproveitou também para saudar o congresso e dar as boas vindas em nome do PCdoB da Bahia aos milhares de jovens que estão em Salvador.


quinta-feira, 17 de junho de 2010

MEC divulga lista de aprovados em universidades públicas pelo SiSU

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta quinta-feira (17) a primeira chamada do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que seleciona candidatos para universidades públicas. As matrículas deverão ser feitas em 23 e 24 de junho nas universidades escolhidas. A primeira chamada registrou a aprovação de 16.549 candidatos de 231.931 inscritos.


Do total, 10.968 estudantes foram aprovados para a primeira opção de curso e 5.581 foram aprovados para a segunda opção. Os candidatos selecionados para a primeira opção serão excluídos do sistema. Portanto, não serão convocados nas seguintes chamadas.


Os selecionados para a segunda opção continuarão no sistema e podem ser convocados para ocupar vaga no primeiro curso escolhido.


A segunda chamada está marcada para 28 de junho, com matrículas em 1º de julho e 2 de julho. A terceira chamada será divulgada em 8 de julho, com matrículas em 12 e 13 de julho.


Entre 10 e 14 de julho, os estudantes que não tiverem sido selecionados terão de manifestar interesse em participar da lista de espera. A divulgação dessa lista será feita em 19 de julho.

Esta edição tem 15 universidades federais, duas estaduais, 17 institutos federais e um centro federal de educação tecnológica (Cefet). Oito das universidades aderiram pela primeira vez ao sistema. Puderam participar da seleção estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio 2009.

Clique no link abaixo e confira:

http://sisu.mec.gov.br/

Faetec abre 950 vagas para o interior do Rio

As inscrições do concurso para o preenchimento de vagas em cursos técnicos subsequentes e superiores da rede da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) estão abertas até 25 de junho.

Para o interior do estado do Rio, estão incluídas oportunidades de acesso a cursos de educação profissional técnica de nível subsequente ao ensino médio e para o nível superior.

Em Campos, no nível médio subsequente, são 30 vagas para o curso de Cerâmica, no Centro Vocacional Tecnológico (CVT) Campos/JBM, e outras 70 na Escola Técnica Estadual (ETE) João Barcelos Martins, nos cursos de Administração e Eletromêcanica. Estas unidades ficam na Rua Alberto Lamego, 712, Parque Califórnia. A ETE Agrícola Antonio Sarlo tem 35 vagas para o curso de Técnico em Florestas e, no CVT Campos/AAS, são 35 vagas para Fruticultura. O endereço destas unidades é Av. Rio Grande do Sul, s/nº, Guarus. No Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert (Isepam), na Avenida Alair Ferreira, 37, Turf Club, são 120 vagas para o curso superior de Pedagogia.

No Centro de Educação Tecnológica e Profissionalizante (Cetep) Santo Antonio de Pádua são 60 vagas no curso de nível médio subsequente de Informática e no Instituto Superior de Tecnologia (IST) são 80 para o curso superior de Pedagogia. O endereço das unidades é Rodovia RJ 186, km 2,5 em Divinéia.

No ensino médio subsequente, há vagas ainda em Volta Redonda. O FEVRE Colégio Getúlio Vargas (Rua 154, nº 783, Laranjal) oferece 80 oportunidades para o curso de enfermagem e 40 para Informática. No Cetep Volta Redonda (Rua 1.015, s/nº em Volta Grande II) são 40 vagas para informática. O Cetep Resende (Avenida Tenente Coronel Alberto Mendes, 1.920, Campo de Aviação) tem 40 vagas no curso de Logística.

O curso superior de Pedagogia tem ainda oportunidades no Instituto Superior de Educação (ISE) Bom Jesus de Itabapoana (Rua Aristides Figueiredo, 147, Centro), com 80 vagas, e mais 120 no ISE Itaperuna (Rua Aluisio Dias Moreira, 320, em Presidente Costa e Silva) e 40 no ISE Três Rios (Rua Marechal Deodoro, 117, Centro).

Ainda no nível superior, há 60 vagas no curso de formação em Tecnologia da Informação e da Comunicação do Instituto Superior de Tecnologia (IST) Petrópolis, na Rua Getúlio Vargas, 333, Quitandinha.

As inscrições para o concurso são realizadas exclusivamente pela internet. Depois de escolher a área técnica em que quer se especializar, o candidato deve acessar o site www.faetec.rj.gov.br, no link Processo Seletivo FAETEC 2010.2, ler o Manual, preencher o Formulário de acordo com as orientações, imprimir o boleto bancário e, em seguida, pagar a taxa de inscrição de R$ 38,00 na rede bancária, o que automaticamente confirma a participação no processo.

As provas estão previstas para o dia 18 de julho

A Faetec é um órgão do Governo do Estado, vinculado à Secretaria de Ciência e Tecnologia. Mais informações sobre o concurso podem ser obtidas no site ou pelo telefone: (21) 2332-4085, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

PCdoB-RJ realizará plenária sindical com João Batista Lemos

A Secretaria Sindical do PCdoB-RJ realizará, no dia 17, uma plenária sindical com os comunistas que atuam neste movimento. Na ocasião, haverá um debate com o secretário Nacional Sindical do Partido, João Batista Lemos.

O encontro também lançará, no Rio de Janeiro, o livro “A Política Sindical do PCdoB”, de Batista Lemos. A obra reúne o pensamento político-sindical do PCdoB nos últimos 15 anos e aborda as principais mudanças no mundo do trabalho ocorridas no Brasil desde 1994.

A plenária sindical terá início às 18h, no auditório do Sindicato dos Bancários (Av. Presidente Vargas, 502, 21º andar).